Página inicial
Sala de leitura
Enem
Críticas e sugestões
Eventos
Links paratodos
videos
 


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA ALGUNS VIDEOS DIDÁTICOS CPTEC.INPE


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA JOGO – QUEBRA CABEÇA COM MAPA-MÚNDI FÍSICO


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E CONHEÇA MAPA INTERATIVO DAS EMISSÕES DE CO2 NOS DIFERENTES PAÍSES DO MUNDO E DADOS DEMOGRÁFICOS.


CLIQUE NA IMAGEM
ACIMA, E JOGUE COM O MAPA DA EUROPA


CLIQUE NA IMAGEM E LEIA AS MANCHETES DE HOJE DOS JORNAIS DE TODO O
MUNDO.


VEJA O QUANTO VOCÊ CONHECE SOBRE CONTINENTES E OCEANOS


2 JOGOS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL


CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA O MAPA-MÚNDI INTERATIVO

site www.geocienciasnomapa.com.br
CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA UM SERVIÇO DE LOCALIZAÇÃO ESPACIAL DE TESES E DISSERTAÇÕES EM GEOCIÊNCIAS

  Geografia Geral e do Brasil

"FINALMENTE PEGAMOS O NOSSO FRANKENSTEIN...
E ELE ESTAVA NUM BURACO DE ARANHA!"

Graças a Deus Saddam está finalmente nas mãos dos Americanos! Ele deve ter sentido a nossa falta de verdade. Cara, ele parece que está muito mal! Mas, pelo menos conseguiu um exame dentário de graça. Isso é uma coisa que a maioria dos Americanos não consegue.

A América gostava do Saddam. Nós AMÁVAMOS o Saddam. Nós inventamos ele. Nós demos armas para ele. Nós o ajudamos a intoxicar com gás as tropas Iranianas.

Mas daí ele ferrou tudo. Ele invadiu a ditadura do Kuwait e, ao fazer isso, fez a pior coisa possível – ele ameaçou um ainda MELHOR amigo nosso: a ditadura da Arábia Saudita, e as suas enormes reservas de petróleo. Os Bush e a família real Saudita eram e são parceiros econômicos próximos, e Saddam, de volta em 1990, cometeu um grande erro ao chegar próximo demais desses bens valiosos. Daí as coisas foram de mal a pior para o Saddam.

Mas nem sempre foi assim. O Saddam era o nosso bom amigo e aliado. Nós ajudamos o seu regime. Não foi a primeira vez que ajudamos um assassino. Nós gostávamos de brincar de Dr. Frankenstein. Nós criamos muitos monstros – o Shah do Iran, Somoza da Nicarágua, Pinochet do Chile – e daí nós expressamos ignorância e choque quando eles massacraram pessoas. Nós gostávamos do Saddam porque ele estava disposto a lutar contra o Ayatollah. Então garantimos que ele recebesse bilhões de dólares para comprar armas. Armas de destruição em massa. É isso, nós tínhamos essas armas. Nós deveríamos saber – nós demos a ele!

Nós permitimos e encorajamos corporações americanas a fazer negócios com o Saddam nos anos 80. Foi assim que conseguiu agentes químicos e biológicos para que pudesse fabricar armas químicas e biológicas. Aqui está a lista de algumas das coisas que nós mandamos para ele (de acordo com um relatório do Senado Americano em 1994):

• Bacillus Anthracis, a causa de anthrax.
• Clostridium Botulinum, uma fonte de botulinum toxin.
• Histoplasma Capsulatam, causa de uma doença que ataca os pulmões, cérebro, espinha dorsal, e coração.
• Brucella Melitensis, a bactéria que pode causar danos a importantes órgãos.
• Clostridium Perfringens, uma bactéria altamente tóxica causando doenças sistêmicas.
• Clostridium tetani, uma substância altamente toxigênica.

E aqui estão algumas das corporações Americanas que ajudaram o Saddam através dos negócios que fizeram com ele: AT&T, Bechtel, Caterpillar, Dow Chemical, Dupont, Kodak, Hewlett-Packard, e IBM.

Nós estávamos tão em casa com o querido velho Saddam que decidimos alimentá-lo com imagens de satélites para que ele pudesse localizar onde estavam as tropas Iranianas. Nós sabíamos como ele usava a informação, e com certeza, assim que nós enviamos as fotos, ele intoxicou aquelas tropas com gás. E nós ficamos quietos. Porque ele era nosso amigo, e os Iranianos eram o “inimigo”. Um ano após ele ter intoxicado os Iranianos, nós restabelecemos relações diplomáticas com Saddam!

Algum tempo depois ele intoxicou com gás o seu próprio povo, os Curdos. Você acharia que isso nos obrigaria a nos desassociar dele. O Congresso tentou impor sanções econômicas no Saddam, mas a Casa Branca, na época Reagan, rapidamente rejeitou a idéia – eles não deixariam nada atrapalhar o bom amigo Saddam. Nós tivemos quase que um caso de amor com esse Frankenstein que nós (em parte) criamos.

E, assim como o mítico Frankenstein, Saddam finalmente saiu do nosso controle. Ele não queria mais fazer o que o seu mestre mandava. Saddam precisava ser preso. E agora que foi trazido de volta do além, talvez tenha algo para dizer sobre os seus criadores. Talvez possamos aprender algo… interessante. Talvez Don Rumsfeld possa sorrir e cumprimentar o Saddam novamente. Da mesma forma que ele fez quando foi visitá-lo em 1983.

Talvez ele não se encontrasse nessa situação se o Rumsfeld, Bush, Sr., e companhia não tivessem ficado tão empolgados nos anos 80 com o seu monstro amigo no deserto.
Enquanto isso, alguém sabe onde está o cara que matou 3,000 pessoas no dia 9/11? O nosso outro Frankenstein? Talvez ele esteja em um buraco de rato. São tantos os nossos pequenos monstros, com tão pouco tempo para a próxima eleição.

Fiquem firmes, candidatos democratas. Parem de parecer um bando de medrosos. Estes idiotas nos mandaram para a Guerra com uma mentira, a matança não vai parar, o mundo árabe nos odeia com todo o coração, e nós vamos pagar por isso com dinheiro dos nossos bolsos daqui a alguns anos. Nada do que aconteceu hoje (ou nos últimos 9 meses) tem nos tornado UM POUQUINHO mais seguros no nosso mundo pós 9/11. Saddam nunca foi uma ameaça à nossa segurança nacional.

Somente a nossa vontade de brincar de Dr. Frankenstein nos ameaça.

Michael Moore
Consciência.Net
Tradução: Dominique Makins

Retornar ao índice

ATUALIZADO EM 28//06/2016